Entrevistas

35 - "André Rieu no Programa Volle Kanne"

Programa matinal da TV alemã ZDF, em maio de 2006.

Traduçãos: Ineke Cornelissen/Sonja Harper/MérciaCosac

Andrea, a apresentadora do programa, e André cumprimentam-se com 3 beijinhos no rosto, hábito considerado holandês, mas que nunca foi, pelo que se sabe.

“Bom dia, André; suponho que deve ser muito cedo ainda para você...

Sim, programei meu despertador para as 5 horas da manhã, mas acordei às 4:30h com o canto dos rouxinóis. (André ainda estava sob o efeito do "jet lag"). Logo eu estava totalmente desperto e sentindo-me como se já estivesse voando para a Alemanha.

Ouvi dizer que você adora o SMS; quantas mensagens SMS envia por dia?

Centenas.

Por que?

Porque estou em viagem todos os dias, e essa é uma ótima maneira de estar em contato com minha esposa sem importuná-la demais. Se telefono, ela tem de interromper o que estiver fazendo para atender à chamada a todo momento; assim fica mais tranqüilo.

Você sempre usou os cabelos longos?

Sim, penso que sim, nasci assim....(e, brincando): "Primeiro vieram os cabelos..., e depois eu." Marjorie os corta desde que nos conhecemos; não gosto que outros mexam em meus cabelos.... e, com os cabelos curtos, acho que minha cabeça ficaria com o formato de ovo.

André, você não comeu nada de nosso café da manhã.

Tomei café em casa; comi um pouco do "Muesli".

(Conta que não gosta de pão com recheios doces; prefere carnes ou queijos. Mais tarde, conversando sobre preparação de sobremesas, André ensina a Andrea a palavra holandesa " toetje", que é uma sobremesa doce que ele adora)

Lekker...lekker! (deliciosa... deliciosa)

Você cozinha?

Sim, gosto muito de cozinhar pois dá uma sensação gostosa de que estou em casa.

Faz serviços de limpeza em casa?

Não; nem eu, nem a Marjorie.

E quanto ao seu grande concerto em Viena?

O ZDF (o segundo canal da TV alemã) convidou-me para organizar um belo programa para ser transmitido pela TV à noite, no final do verão. Combinamos que seria realizado em Viena, nos jardins do Castelo Schoenbrunn (antiga residência oficial do imperador). O programa irá ao ar em 05 de agosto, transmitido pelo ZDF. Será um lindo programa, onde deverão estar presentes "Franz Josef e Sissi" ( o casal imperial que viveu na Áustria no século 19). Teremos o "ballet" da Austrian State Opera, que é uma escola de dança; e, naturalmente, os cavalos "Lipizzaner" (os famosos cavalos brancos) da Escola Espanhola de Equitação (localizada em Viena); e Karl Moik (um apresentador de TV, muito conhecido, e amigo de André).

(André conta que tem um bom relacionamento com o produtor do ZDF; que ambos dão-se muito bem, especialmente no que se refere ao senso de humor; e que trabalham em conjunto de um modo muito agradável).

Uma pergunta para nossos telespectadores! Enviando a resposta certa, vocês podem ganhar 2 ingressos para o concerto de André em Viena.

" Onde o especial de outono será gravado?"

1) Nova York; 2) Los Angeles;3) Chicago.

(A resposta certa é Nova York).

(Enquanto isso, prosseguindo a conversa no transcorrer do programa, passaram a falar sobre cães, a apresentadora pergunta a André se ele prefere gatos ou cães).

André: Prefiro cães; não me entendo com os gatos, pois são muito individualistas, com vontade própria. Convivo melhor com os cães; sempre tivemos cães em casa, desde quando eu era bem pequeno. Atualmente, temos um "boxer" e um jovem "poodle"; tínhamos dois "boxers", mas um deles morreu recentemente. (Ele não disse qual dos cães, mas estaria Xander ainda vivo?).

Você foi obrigado a tocar violino?

Não, claro que não: venho de uma família de músicos; assim, eu achava inteiramente normal que todos tocassem um instrumento. Comecei aos cinco anos; estimulado por meus pais, naturalmente.

Nós íamos aos concertos do meu pai, e, a partir de uma certa idade, eu comecei a observar que as pessoas na platéia mudavam o comportamento assim que meu pai apresentava uma valsa, ao final, quando dos pedidos de bis por parte do público. De repente, o clima transformava-se; havia muito mais felicidade e a platéia ria e ficava toda empolgada. Aquilo me impressionava muito; e foi assim que nasceu a idéia de que eu queria tornar a música clássica mais agradável para uma grande platéia. E consegui!

Você consegue dançar?

Prefiro tocar; danço um pouco, mas não muito bem.

Você é conhecido como um bom empregador; é o patrão; um amigo; um psicólogo; e até mesmo uma figura paterna...; providencia uma máquina de lavar para a equipe...um médico... alimentação, etc.

Sim, eu carrego os membros da minha orquestra e minha equipe de apoio pelo mundo todo. Eles sentem falta de suas famílias; então tento fazê-los tão felizes quanto possível.

Uma vez comemos "schnitzels" vienenses a semana inteira, e algumas pessoas ficaram intoxicadas; por isso, decidi que traríamos nossos próprios alimentos. Em minha orquestra, temos cerca de quinze jovens mamães; as crianças não podem viajar conosco todo o tempo, mas, quando estamos ensaiando, em Maastricht, por um mês inteiro no verão, temos uma creche para que elas possam trazer suas crianças enquanto estamos ensaiando com a orquestra.

O que a sua esposa significa para você?

Sem ela eu seria completamente infeliz; não conseguiria fazer nada sem ela. Eu a encontrei aos 11 anos; ela era colega de classe da minha irmã. Eu tinha 11 anos e ela 13. Mais tarde, quando eu estava com 21, voltamos a nos encontrar, e aí foi uma explosão de amor: estamos casados há 31 anos.

Mas nunca vimos uma foto de vocês dois juntos; então a imprensa e as revistas sensacionalistas especulam muito.

Ah, sim; eu sei. Marjorie e eu fizemos um acordo muito claro: eu me encarrego da publicidade, e ela não. Conheço várias pessoas que agem dessa forma, mas a imprensa fantasia bastante também: " Ela só pode ser muito feia; doente mental ou então está morta". Porém posso te afirmar, ela está muito bem, e está bem viva, para sorte minha!

A empresa Rieu é uma empresa familiar; sua esposa também trabalha nela, e vocês têm dois filhos...

Sim, e estamos sempre conversando sobre o trabalho; mesmo quando passeamos com os cães, falamos sobre os concertos...os programas. Meu filho mais novo é o meu gerente de produção; ele cuida de tudo que for necessário para a realização dos concertos. Meu filho mais velho estuda História da Arte, e ele tem um enorme talento musical; está sempre com um "ipod" em sua cabeça.

Você viaja muito: EUA... Japão; é cansativo! Quando recarrega suas baterias?

As turnês são como férias, porque tudo é muito bem organizado. Quando estou em casa, há sempre alguém solicitando alguma coisa... Por exemplo: " Volle Kanne me convida para um café da manhã....".

Nunca sai de férias...para uma ilha tropical...?

Não; prefiro ficar em casa.

(Em um dado momento fala-se de plantas e jardins, e ambos saem do estúdio para conversar com um jardineiro, pois André não quis ficar só no estúdio. Ele conta que tem um grande jardim e que está construindo uma estufa onde pretende cultivar plantas tropicais e criar pássaros que cantem; mas, que ela não está pronta ainda. Quando Andrea pergunta ao jardineiro como as plantas conseguem sobreviver àquele sol forte, André sugere: "Dê-lhes água!".

De volta ao estúdio, André admite que nunca ouve seus CDs em casa, pois lá há sempre muita música; chega o momento destinado às perguntas dos telespectadores)

Algumas vezes você está de óculos, mas nunca os usa no palco; usa lentes de contato no palco?

Não, só preciso dos óculos para ler; no palco, posso ver tudo, e toco as melodias de cor.

Você se sente perseguido pelas mulheres?

Algumas vezes; muitas fãs me seguem. Mas eu sou um homem livre, e não pretendo ter proprietárias. Considero os hotéis onde hospedo-me como locais públicos, e minha casa em Maastricht, como meu espaço particular.

Como é sua estufa?

Não está pronta ainda; eu poderia construí-la pessoalmente, porque entendo de construção de edificações, exceto no que se refere à instalação elétrica, o que não me arrisco a fazer! Mas prefiro delegar esse trabalho a alguém, pois estou mais cuidadoso com as minhas mãos.

Você vai gravar um novo especial na Alemanha, assim como está fazendo agora em Nova York?

Talvez; não sabemos ainda. Quando estiver tudo organizado, primeiro vamos gravar no México; depois, tudo é possível.

Você faz malhação?

Quando em turnê, usamos um ônibus equipado para "fitness" , e temos "personal trainers"; em casa, também tenho um.

Você pretende tocar em um filme, como aquele realizado no cruzeiro marítimo?

Não, não consigo representar; naquele papel no navio de cruzeiro, eu estava representando a mim mesmo; não consigo ser ninguém além de mim mesmo.

Uma violinista estava ao telefone; ela deseja tocar em sua orquestra, mas não consegue fazer contato com você, pois em seu "Guestbook" não se dá respostas.

Ah, ela pode escrever ao "Guestbook", e eu verei; ou pode me escrever. O carteiro sabe o endereço: André Rieu, Maastricht.”