As Letras das Músicas

do repertório de André Rieu

49 - "La chanson d'Olympia" /  Olympia's Song

Letra e música: Jacques Offenbach

Tradução livre: Mércia Cosac

Ária do primeiro Ato da ópera francesa “Lês Contes d'Hoffmann” – Os Contos de Hoffmann.

Solista com André Rieu & JSO: Carla Maffioletti

O enredo dessa ópera de Jacques Offenbach (Paris, 1819 – 1880) se inicia numa taverna em Nuremberg. É noite, o bar está vazio, mas algumas vozes de espíritos invisíveis cantam em homenagem ao vinho e à bebida. Começa aí, nesse cenário propício ao maravilhoso e ao fantástico os contos de Hoffman. Nicklauss, sua musa, que encarna a própria poesia, desafia Hoffman a lhe provar que exista amor de alguma mulher mais merecedor de sua fidelidade do que a própria poesia que ela encarna.

Obra romântica por excelência, pelos seus traços de mistério e fantásticas alucinações, trechos desta obra-prima de Jacques Offenbach e, sobretudo, a famosa barcarola Belle nuit, ô nuit d'amour podem ser facilmente encontrados como trilhas das mais variadas obras teatrais e cinematográficas como Titanic por exemplo. O libreto se baseia num livro de contos do escritor, compositor, jurista e pintor alemão Ernst Theodor Amadeus Wilhelm Hoffmann (Königsberg, 1776 - Berlim, 1822) que foi um dos expoentes e maiores nomes da literatura romântico-fantástica mundial.

Em uma cervejaria, Hoffmann, ele mesmo, o poeta, músico e filósofo romântico, desabafa suas mágoas com os amigos. Vítima de um espírito maligno, ele não consegue encontrar o verdadeiro amor. Sempre que está próximo, seu inimigo provoca um encantamento que o afasta da amada. Cada ato da ópera se refere a um amor perdido. No Ato I, Hoffmann se encanta com Olympia, uma linda e virtuosa mulher, sem desconfiar que ela não é de carne e osso. No Ato II, se apaixona por uma cortesã em Veneza, mas seu implacável inimigo, Dr. Coppellius, instiga a mulher a aprisionar a alma de Hoffmann em um espelho. No Ato III, finalmente o poeta parece ter encontrado uma mulher normal, mas ela sofre de uma maldição. Sua mãe morreu cantando e ela está destinada a ter o mesmo fim se fizer o mesmo. Dr Coppellius a incentiva a cantar, sugestiona a moça com a imagem da própria mãe e ela morre. Nicklauss, transvestida de amigo e conselheiro, está sempre presente em cada situação mostrando ao poeta de que nada se comparava ao verdadeiro amor pela arte. Mas só no final da ópera é que descobriremos que Nicklauss é mais do que uma musa, se não a mulher amada que Hoffman sempre buscara. Como estava sempre ali ao seu lado, e o amor romântico só valoriza o que está sempre distante, condição de sua própria aura, o poeta nunca percebera.

Esta abordagem ficcional de Offenbach sobre a vida e os amores do escritor romântico alemão conhecido como E.T.A. Hoffmann (iniciais de Ernst Theodor Amadeus, este último nome acrescentado em homenagem ao grande compositor austríaco) é uma fascinante jornada psicológica, uma vez que ele próprio se identificava com o tipo.

Offenbach escreveu várias óperas ligeiras para o Teatro Cômico de Paris, do qual foi diretor, e com bastante sucesso de público, inclusive uma de título A Brasileira, mas sem dúvida alguma Os Contos de Hoffman foi sua maior ambição, tendo falecido um ano antes de sua estréia.

Fonte: http://www.avozdocidadao.com.br/detailAgendaCidadania.asp?ID=2087&

 

A letra original da ária, em francês:

“La Chanson d'Olympia”

Les oiseaux dans la charmille
Os pássaros pelos caminhos

Dans les cieux l'astre du jour,
Nos céus, o astro do dia (sol ???),

Tout parle à la jeune fille d'amour!
Tudo fala de amor a uma jovem!

Ah! Voilà la chanson gentile
Ah! Eis aí a suave canção

La chanson d'Olympia! Ah!
A canção de Olympia! Ah!

Tout ce qui chante et résonne
Tudo aquilo que canta e ressoa

Et soupire, tour à tour,
E suspira, à sua vez

Emeut son coeur qui frissonne d'amour!
Estremece seu coração, que se arrepia de amor!

Ah! Voilà la chanson mignonne
Ah! Eis aí a pequena canção

La chanson d'Olympia! Ah!
A canção de Olympia! Ah!

Fonte: http://heiaha.blogspot.com.br/2010/08/les-contes-dhoffmann.html

 

A letra em inglês foi extraída do site www.andrerieutranslations.com (EUA):

The birds in the hedges,
Os passarinhos nas sebes

The star of daylight in the sky,
A estrela da luz do dia no céu,

Everything speaks to a young girl of love!
Tudo fala de amor a uma jovem!

This is the sweet song,
Esta é a doce canção,

The song of Olympia! Ah!
A canção de Olímpia! Ah!

Everything that sings and sounds
Tudo que canta e ressoa

And sighs, in its turn,
E suspira, por sua vez,

Moves her heart, which trembles with love!
Toca seu coração, que estremece de amor!

Ah!  This is the darling song,
Ah! Esta é canção mais querida,

The song of Olympia! Ah!
A canção de Olímpia! Ah!