As Letras das Músicas

do repertório de André Rieu

30 - Ode to Joy

(An die Freude)

 

Música: Ludwig van Beethoven

Letra: poema escrito em 1785 por Friedrich Schiller, poeta, filósofo, historiador e dramaturgo alemão (1759-1805)

Esse poema veio a ser a base para o 4º Movimento da Sinfonia Nº 9 de Beethoven.

A sinfonia n.º 9 em ré menor, op. 125, "Coral", é a última sinfonia completa composta por Ludwig van Beethoven. Completada em 1824, a sinfonia coral mais conhecida como Nona Sinfonia é uma das obras mais conhecidas do repertório ocidental, considerada tanto ícone quanto predecessora da música romântica, e uma das grandes obras-primas de Beethoven.

A nona sinfonia de Beethoven incorpora parte do poema An die Freude ("À Alegria"), uma ode escrita por Friedrich Schiller, com o texto cantado por solistas e um coro em seu último movimento. Foi o primeiro exemplo de um compositor importante que tenha utilizado a voz humana com o mesmo destaque que a dos instrumentos, numa sinfonia, criando assim uma obra de grande alcance, que deu o tom para a forma sinfônica que viria a ser adotada pelos compositores românticos. A sinfonia n.º 9 tem um papel cultural de extrema relevância no mundo atual. Em especial, a música do último movimento, chamado informalmente de "Ode à Alegria", foi rearranjada por Herbert von Karajan para se tornar o hino da União Européia. Outra prova de sua importância na cultura atual foi o valor de 3,3 milhões de dólares atingido pela venda de um dos seus manuscritos originais, feita em 2003 pela Sotheby's, de Londres. Segundo o chefe do departamento de manuscritos da Sotheby's à época, Stephen Roe, a sinfonia "é um dos maiores feitos do homem, ao lado do Hamlet e do Rei Lear de Shakespeare".

Foi apresentada pela primeira vez em 7 de maio de 1824, no Kärntnertortheater, em Viena , na Áustria. O regente foi Michael Umlauf, diretor musical do teatro, e Beethoven - dissuadido da regência pelo estágio avançado de sua surdez - teve direito a um lugar especial no palco, junto ao maestro.

Fonte: Wikipedia e www.letras.mus.br

André, fervoroso defensor do poder da música como contribuição à paz no planeta, apresenta a “Ode to Joy” em seus concertos com um pequeno texto onde demonstra com muita emoção esta sua crença, com a qual, aliás, todos concordamos que verdadeira. Carmen Monarcha e Carla Maffioletti, em dueto, são as solistas escolhidas por André para a interpretarem, e elas o fazem magnificamente nos concertos da JSO; vejam-nas, por exemplo, no DVD “André Rieu Live in Dublin”.

Freude, schöner Götterfunken
Alegre, formosa centelha divina,

Tochter aus Elysium,
Filha do Elíseo

Wir betreten feuertrunken,
Ébrios de fogo entramos

Himmlische, dein Heiligtum!
Em teu santuário celeste!

Deine Zauber binden wieder
Tua magia volta a unir |

Was die Mode streng geteilt;
O que o costume rigorosamente dividiu. |

Alle Menschen werden Brüder,
Todos os homens se irmanam | 2X

Wo dein sanfter Flügel weilt.
Ali onde teu doce vôo se detém.

Wem der große Wurf gelungen,
Quem já conseguiu o maior tesouro

Eines Freundes Freund zu sein;
De ser o amigo de um amigo,

Wer ein holdes Weib errungen,
Quem já conquistou uma mulher amável

Mische seinen Jubel ein!
Rejubile-se conosco!

Ja, wer auch nur eine Seele
Sim, mesmo se alguém conquistar apenas uma alma.

Sein nennt auf dem Erdenrund!
Uma única em todo o mundo.

Und wer's nie gekonnt, der stehle
Mas aquele que falhou nisso | 2X

Weinend sich aus diesem Bund!
Que fique chorando sozinho!

Freude trinken alle Wesen
Alegria bebem todos os seres

An den Brüsten der Natur;
No seio da Natureza:

Alle Guten, alle Bösen
Todos os bons, todos os maus,

Folgen ihrer Rosenspur.
Seguem seu rastro de rosas.

Küsse gab sie uns und Reben,
Ela nos deu beijos e vinho e

Einen Freund, geprüft im Tod;
Um amigo leal até a morte;

Wollust ward dem Wurm gegeben,
Deu força para a vida aos mais humildes | 2x

und der Cherub steht vor Gott.
E ao querubim que se ergue diante de Deus!

Froh,
wie seine Sonnen fliegen
Alegremente, como seus sóis corram

Durch des Himmels prächt'gen Plan,
Através do esplêndido espaço celeste

Laufet, Brüder, eure Bahn,
Se expressem, irmãos, em seus caminhos

Freudig, wie ein Held zum Siegen.
Alegremente como o herói diante da vitória.

Seid umschlungen, Millionen!
Abracem-se milhões!

Diesen Kuß der ganzen Welt!
Enviem este beijo para todo o mundo!

Brüder, über'm Sternenzelt
Irmãos, além do céu estrelado

Muß ein lieber Vater wohnen.
Mora um Pai Amado.

Ihr stürzt nieder, Millionen?
Milhões se deprimem diante Dele?

Ahnest du den Schöpfer, Welt?
Mundo, você percebe seu Criador?

Such' ihn über'm Sternenzelt!
Procure-o mais acima do céu estrelado!

Über Sternen muß er wohnen.
Sobre as estrelas onde Ele mora